Afinal, o que é “Ética de Bolso”?

por Luiz PERES-NETO

 

O que um observatório faz, me perguntava, tempos atrás, uma colega de trabalho. Eu imagino – dizia ela – uma trupe de pessoas observando tudo, intensamente, incansavelmente, durante 24 horas todos os dias da semana, sem trégua. Como boa foucaultiana, a imagem que lhe veio à mente não foi outra senão a de um panóptico acadêmico que tudo vê e sobre tudo opina. Evidentemente, esta descrição não corresponde com o que buscamos neste espaço.

Surgido como um “produto” do projeto de pesquisa “Implicações ética das políticas de privacidade digital: um olhar a partir do campo da comunicação e do consumo”, financiado pelo CNPq, inicialmente tínhamos na nossa mira a construção de uma choupana virtual que permitisse discutir questões relacionadas ao tema do mencionado projeto para além dos tradicionais cercadinhos acadêmicos. Nos nossos sonhos pueris, queríamos criar um espaço dinâmico, aberto, participativo, com linguagem visual e textual acessível a todos. Ufa! Muitos sonhos e desejos para um projeto. Fruto do nosso delírio ou amadurecimento, coletivamente, expandimos a ideia inicial. Emergiu a proposta de um observatório que não se limitasse às questões relativas à privacidade digital, mas que a incluísse. Que permitisse expandir as nossas reflexões já que trabalhamos e pesquisamos em torno à tríade ética, comunicação e consumo. E que, desse modo, pudéssemos oferecer uma modesta contribuição à sociedade.

Não sem alguma surpresa nos demos conta de que, apesar do debate da ética estar continuamente presente no horizonte de inquietações de milhões de brasileiros, faltava um espaço acadêmico no mar sem fim da Internet que propusesse um diálogo sobre este tema, de maneira mais aberta para com a sociedade. Tampouco encontramos nenhuma página que cumprisse tal missão e que estivesse relacionada com o consumo, uma prática de suma importância para todos nós e frequentemente desdenhado por certos setores das ciências sociais, ficando confinado ao debate meramente econômico. Para além das algibeiras, o consumo é um importante lugar de produção de sentidos sociais. Muito diz sobre nós mesmos, sobre o que somos, o mundo que habitamos e àquilo que projetamos.

Assim surgiu o “Ética de Bolso”, um observatório que pretende contribuir com as discussões sobre ética com todos e todas, com independência do nível socioeconômico, renda, ideologia, títulos, pompas ou circunstâncias. Porque a ética – assim como o consumo e a comunicação – é parte inseparável das nossas vidas. Bússolas que nos permitem navegar no oceano de valores, virtudes e morais que nos afetam a cada instante.